Iniciação Científica - Pesquisa em psicologia

4

Posted by Fernanda Wagner | Posted on 13:09



        Esta semana foi anunciado o período de inscrições para projetos de pesquisa na minha faculdade, e há uma vaga aberta para o curso de Psicologia. Então procurei os professores atrás de algum que pudesse e quisesse me orientar. Ainda não sabia exatamente sobre o que eu queria pesquisar, mas sabia que esse era um dos meus sonhos e que eu queria algo ligado a uma das áreas ao lado ->.
        Fui então conversar com o coordenador do curso para saber quais eram os professores que teriam a linha de pesquisa ligada a isso, e ele sugeriu que eu encaminhasse um e-mail para os dois professores que poderiam me orientar. Feliz da vida, mas não o suficiente, resolvi falar ao vivo e a cores com um deles, munida com uma pré-proposta de tema pronta, que foi recusada. O professor sugeriu então uma idéia: pesquisar sobre a atenção ( e distúrbios desta ) nos alunos da faculdade.
        Particularmente, eu gostei bastante da sugestão, afinal “atenção” era o único assunto que não havia sido abordado na matéria de processos psicológicos básicos, e eu finalmente vou ter chance de pesquisar e aprender sobre o tema. E mais: acho que associar a questão da atenção com aprendizagem e comportamentalismo iria ser tudo de bom ( ainda estou pensando a respeito ).

        Procurando sobre o assunto no Google, achei este site - Brain Rules - que tem algumas curiosidades sobre atenção e outros assuntos. Decidi traduzir e colocar aqui algumas delas:

   # Regra No 4: Não prestamos atenção para coisas chatas.

• As coisas as quais prestamos atenção são plenamente influenciadas pela memória. Nossas experiências anteriores prevêem em que iremos prestar atenção. A cultura também importa. O clima na escola ou no trabalho são diferenças que podem exercer grande efeito sobre como percebemos o mundo.
• Nós prestamos atenção em coisas como emoções, ameaças e sexo. Independentemente de quem você seja, o cérebro presta grande parcela atenção nestas questões: Posso comer isso ? Isto vai me comer ? Vou combinar com isto ? Isto vai combinar comigo ? Eu já ví isso antes ?
• O Cérebro não é capaz de realizar múltiplas tarefas. Nós podemos respirar e falar, porém quando ficamos sobrecarregados, isto torna-se impossível.
• Dirigir enquanto falamos ao telefone celular é igual a dirigirmos bêbados. O cérebro é um processador seqüencial e grandes frações de segundo são consumidas toda vez que realiza várias tarefas. Este é o motivo de motoristas falando ao celular serem meio segundo mais lentos para pressionar o freio e sofrerem mais acidentes.
• Locais de trabalho e escolas geralmente encorajam as multi-tarefas. Entre em qualquer escritório e você verá pessoas enviando e-mails, falando ao telefone, conversando em chats, e no MySpace- tudo ao mesmo tempo. Pesquisas mostram que a taxa de erro e o tempo que você leva para efetuar as tarefas aumentam em 50%.”

Leia mais...

O Hábito de Colar - Significados II

1

Posted by Fernanda Wagner | Posted on 12:35


       Sempre achei que os professores ( alguns, não todos ) negligenciavam o fato de alguns alunos colarem em provas e avaliações somente por acreditarem ser afirmativa a resposta quanto à questão feita na postagem anterior.
       Detalhe: Aqui não estou querendo discutir se a negligência as colas é correta ou errada. Vou apenas citar alguns outros motivos pelos quais alguns professores fingem não ver quando seus alunos estão colando.
       Outro motivo é que para alguns professores o fato de o aluno colar mostra que ele estudou, uma vez que teve que efetuar a leitura da matéria para produzir a cola, e somente utiliza a mesma, pois está inseguro.


"Ao selecionarem as palavras que resumem o texto, os alunos se forçam a repetir o texto com suas próprias palavras. Essa repetição aumenta a capacidade de articulação dos alunos sobre o texto estudado, visto que eles não se prendem às palavras do autor, preferindo utilizar suas próprias palavras." ( Super-Memória por Dell’Isola 2009 )



Emfim, o que tudo isso tem haver com análise do comportamento?

       Certo dia, na aula, estava aprendendo sobre reforçamento e foi dita a seguinte frase: “ O aluno cola pois este comportamento é reforçado pela nota que tira ( que na maioria das vezes é alta ), fazendo com que este comportamento aumente ou mantenha a freqüência”.
       Realmente. Eu estudo e tiro nota 8, e vejo que quem cola nas provas tira nota 10 com parabéns e estrelinhas. Uma vez que o aluno é valorizado pela instituição de ensino pela nota que tira, logo o que este acha que é a melhor opção? Para a vida acadêmica é colar, porque o aluno que tira nota 10 é visto como melhor do que o que tira nota 8. Logo, o aluno que antes não colava, se sente inferior e tende a adquirir o comportamento de colar, uma vez que o comportamento estudar não deu o resultado esperado por ele.

Leia mais...

Significados

0

Posted by Fernanda Wagner | Posted on 08:49


       Na aula de processos psicológicos básicos estudamos que inteligência é a capacidade de aprender a partir de experiências.

       Mas o que é aprender?

       Seria o aluno que cola nas provas, e não é pego pela professora, um aluno inteligente?

       Segundo o dicionário online Michaelis , inteligência é:

Inteligência
in.te.li.gên.cia
sf (lat intelligentia) 1 Faculdade de entender, pensar, raciocinar e interpretar; entendimento, intelecto. 2 Compreensão, conhecimento profundo. 3 Filos Princípio espiritual e abstrato considerado como a fonte de toda a intelectualidade. 4 Psicol Capacidade de resolver situações novas com rapidez e êxito (medido na execução de tarefas que envolvam apreensão de relações abstratas) e, bem assim, de aprender, para que essas situações possam ser bem resolvidas. 5 Pessoa de grande esfera intelectual. 6 Conluio, ajuste, combinação.

       E aprender significa:

Aprender
a.pren.der
(lat apprehendere) vtd, vti e vint Ficar sabendo, reter na memória, tomar conhecimento de: Em pouco tempo, aprendeu vários idiomas, tendo aprendido com sua mulher o alemão e o inglês. No trato da jurisprudência, aprendeu a arte de burlar as leis. Pela dor aprendeu o que é o mundo. Sempre receou aprender demais. A. à sua custa: aprender por experiência própria.


       Onde eu quero chegar?
       Não vai ser hoje que essa pergunta vai ser respondida.
Leia mais...

Como comportar-se na hora do "Parabéns" ?

2

Posted by Fernanda Wagner | Posted on 12:23


       Inspirada na série Habilidades Sociais: Como Agir do blog [“Comporte-se”] e aproveitando a aproximação do dia do meu aniversário resolvi pesquisar sobre as diferentes maneiras que as pessoas comportam-se na hora em que todos se reúnem para cantar a música do aniversário.
       Primeiro, há a grande reunião de pessoas, todas paradas, olhando para o aniversariante no momento em que cantam uma música de aproximadamente 45 segundos.
       Para algumas pessoas, a presença de um grupo ao seu redor pode ser uma situação desconfortável. Em outros casos, o simples fato de não saber o que fazer com as mãos e com o corpo, além da vermelhidão e do suor que este momento pode causar são motivos para que o aniversariante se sinta encabulado.
       A aquisição de um comportamento ( no caso evitar falar com as pessoas) para se livrar de uma conseqüência ( sentir-se envergonhado/ não saber o que fazer ) que nesta situação, e para este indivíduo é aversiva, é um tipo de reforçamento negativo denominado esquiva.
       Talvez as pessoas que não gostam da hora do “parabéns pra você” simplesmente evitem fazer festas e comemorações nos aniversários seguintes ao que se sentiram constrangidas para evitarem ( se esquivarem) esta situação, a qual não sabem como agir.
       Pode-se, também, solicitar que os convidados não cantem esta música, mas em nossa cultura, este pedido provavelmente não vai ser atendido, uma vez que muitas pessoas consideram que “sem parabéns não existe aniversário”.
       Enfim, como agir neste momento? Devemos agradecer? Bater palmas? Cruzar os braços? Sorrir? Chorar? Todas as reações são possíveis.
       Através de buscas em artigos e pesquisas científicos não achei nada que comprove que certo comportamento irá emitir respostas mais desejáveis que outro neste momento ( que entraria, provavelmente, na categoria de "Habilidades Sociais" ). O que parece é que cada pessoa poderá testar e encontrar a sua maneira de reagir a isto para que fique menos constrangido.

Leia mais...

Related Posts with Thumbnails